Lombalgia Hérnias discais e nucleoplastia da coluna

Cerca de 80% da população é afetada por uma patologia do disco da coluna a que chamamos  lombalgia ou ciática .

 

Embora na maioria dos casos, essas dores possam regredir espontaneamente, a ideia de que a "sobrecarga de disco pode causar uma deformidade ou um aperto que acaba exigindo algum tipo de intervenção terapêutica" é defendido pela maioria dos autores

 

A Cirurgia classica é realizada com incisão aberta, onde é feita a excisão do anel do disco e remoção da hérnea. É uma cirurgia de amputação, que pode produzir dor e instabilidade no disco. Este procedimento tem indicações próprias para a sua realização e sabemos que apenas 20% dos casos de hérnea discal necessitam desta intervenção cirurgica

 

Nos últimos anos têm sido desenvolvidas técnicas minimamente invasivas, como discolisis com ozono, radiofrequência, capazes de elevar a taxa de sucesso mantendo a integridade do disco.

 

O que é a Nucleoplastia ?

É uma terapia minimamente invasiva, em que um cateter é introduzido no interior do disco. Esse cateter emite ondas de radiofreqüência (calor) que remove (ablação) e aquece o disco de maneira controlada, com o objetivo de descomprimir e promover a contração (endurecimento) do disco.

 

PLASMA DISC DECOMPRESSION

Plasma Disc Descompressão (artrocare) é uma opção que Vitor Cainé utiliza nos Hospitais (HME e CDI em Évora) para aqueles pacientes que falharam o tratamento conservador. O procedimento é realizado sob orientação de raios-x usando uma abordagem minimamente invasiva. Plasma Disc Descompressão é reconhecido pelo Instituto Nacional de Excelência Clínica (NICE) e os dispositivos SpineWand utilizadas no procedimento de-ter-sido autorizada pela FDA para a ablação, coagulação e descompressão do material do disco para o tratamento de pacientes sintomáticos com hérnia de disco contido.

Utilizo a tecnologia de plasma utilizada no procedimento Plasma Disc Descompressão (conhecido como Coblation) que foi desenvolvido pela ArthroCare e que se tem-se usado com sucesso há mais de 10 anos em mais de 4,5 milhões de procedimentos. O procedimento não depende de calor para a remoção de tecidos, e não faz calor excessivo, não produzindo dano tecidual.

 

A abordagem minimamente invasiva utiliza apenas uma pequena agulha (1 mm ou 1/20 polegadas)

Plasma Disc Descompressão tornou-se sucesso de um método que leva à descompressão do disco ,minimamente invasivo e é a principal escolha para os médicos de todo o mundo

 

Ozonoterapia Intradistal

Outro sistema que obtém bons resultados é a discolisis com ozono, que envolve a injeção de ozono no disco sob controle radiográfico. Provoca a desidratação no núcleo do disco reduzindo o seu volume por degradação de proteoglicanos. A sua acção actua igualmente  sobre a raiz do nervo por um efeito anti-inflamatório de libertação imediata de enzimas antioxidantes que neutralizam a formação excessiva de radicais de ácidos envolvidos na produção de dor e inflamação.

O Dr. Vitor Cainé é Ortopedista em Évora e é membro da Sociedade Portuguesa de Ozonoterapia (SPO) e da Associação Espanhola de Profissionais Médicos de Ozonoterapia (AEPROMO) está disponível para qualquer esclarecimento adicional e para tratamento de diversas patologias com a Ozonoterapia

 

Quais são os pacientes que se podem beneficiar com a nucleoplastia ?

Os doentes que sofrem de dores lombares após insucesso com o tratamento conservador (medicamento, repouso, fisioterapia, etc.), com diagnósticos de hérnia discal lombar contida (protusão central, centro-lateral direita ou esquerda) e casos selecionados de degeneração discal.

A nucleoplastia é contra-indicada para as hérnias não contidas (extrusas ou seqüestradas), síndrome de cauda eqüina, estenose de canal vertebral, alergia ao contraste radiológico (iodo), distúrbio de coagulação e infecção ativa.

 

Qual a faixa etária das pessoas que se podem beneficiar da nucleoplastia?

Teoricamente, qualquer pessoa com hérnia discal contida pode se beneficiar da nucleoplastia, porém, parece que os melhores resultados se obtêm em pessoas entre 20 e 50 anos de idade, pois nessa faixa etária o disco já começou a degenerar, mas ainda é bastante elástico, sendo mais suscetível à descompressão discal.

 

Como é feito o diagnóstico de hérnia discal ?

Além do exame clínico, que é de fundamental importância, dois exames são necessários:

Ressonância nuclear magnética: permite-nos avaliar a alteração morfológica do disco e da sua relação com as estruturas neurais adjacentes.

Rx coluna lombossagrada: permite-nos avaliar a existência de anomalias congênitas na transição lombossacral e da altura das cristas ilíacas em relação ao disco doente.

 

São realizados mais exames antes do tratamento nucleoplástico?

São realizados todos os exames da cirurgia convencional, isto é, exames de sangue e avaliação clínica (clínico geral ou cardiologista) pré-operatória habitual, para avaliar se existe algum impedimento para o procedimento.

 

Qual é a rotina no dia da operação?

Como em qualquer outra cirurgia, o paciente é orientado a ficar em jejum absoluto (sólidos e líquidos) por oito horas. É recomendado que seja acompanhado por alguém que se responsabilize pelo seu transporte de volta, uma vez que lhe é administrado sedativo durante o tratamento. É administrada medicação pré-anestésica antes de o paciente ser encaminhado à sala cirúrgica, o que o deixará mais relaxado para o procedimento.

 

Como é realizada a nucleoplastia propriamente dita?

O procedimento é efetuado em sala de cirurgia convencional, sob anestesia local e uma leve sedação para diminuir o desconforto do paciente durante a intervenção. O paciente permanece acordado durante todo o procedimento, pois a comunicação e suas reações em várias etapas do procedimento são de fundamental importância, não só para avaliar o estado funcional do disco, como também para evitar lesão neural. Com o auxílio da radioscopia (raios-X), é introduzido um cateter especial de 1 mm de diâmetro no interior do disco com o objetivo de removê-lo e tratá-lo termicamente (coblação), utilizando-se uma faixa específica de radiofreqüência (eletroterapia). Todo o tratamento demora menos de uma hora, e o procedimento em si, em torno de dez minutos.

 

Como é o pós-operatório?

Após o procedimento, o paciente é encaminhado para a sala de recuperação pós-anestésica e lá permanece durante uma hora (rotina); após esse período, é encaminhado de volta para o seu aposento e lá permanece até se recuperar da sedação (de duas a oito horas); recebe alta hospitalar com analgésico e antiinflamatório não hormonal, e é aconselhado a repousar por cerca de dois dias e a praticar atividades leves durante quatro semanas.

 

O alívio da dor lombar ou nas pernas é imediato?

Sim, na maioria dos casos (60 a 80%).

 

Como é o resultado em longo prazo?

Apesar das descompressões percutâneas serem técnicas que existem desde da década de sessenta do século passado (começou com quimionucleólise), a nucleoplastia é uma técnica relativamente nova e somente foi aprovada pela FDA em julho de 2000. Mas os resultados preliminares indicam alívio imediato da dor em cerca de 70% dos casos.

 

A NUCLEOPLASTIA discal é uma técnica segura e bastante promissora no tratamento de hérnia discal lombar contida.

 

Se por acaso a nucleoplastia não resolver o meu caso, terei algum problema quando for me submeter à cirurgia convencional?

Não. Ela é segura, não deixa marca na pele e não instabiliza a coluna, desde que seja realizada por profissional habilitado (certificado pela Arthrocare).E é justamente por isso que a nucleoplastia vem tendo boa aceitação em todo o mundo.

Nucleoplastia

ortopedistacaine.com. Criado com Wix.com